Quero meu FIESPravalerEbradi

GRADUAÇÃO

Cursos

Modalidade
Presencial

Apresentação

Habilitação: tecnólogo em Sistemas para Internet

Carga horária: 2480 horas/aula (carga horária sujeita a alteração)

Duração: cinco semestres

Período: noturno

Mercado de trabalho:

O egresso do curso superior de tecnologia em Sistemas para Internet se constituirá de um profissional competente, apto a participar de todas as atividades relacionadas ao ciclo de vida de desenvolvimento de um sistema. Isto significa que ele atuará nas áreas prestando suporte técnico em microinformática e sistemas; suporte técnico em redes locais; desenvolvendo sistemas, administrando bancos de dados, analisando sistemas e gerenciando projetos. O profissional pode ainda optar por desenvolver seu próprio negócio, desenvolver sistemas, prestar suporte técnico e adaptar os sistemas para atender às necessidades específicas dos clientes.

O objetivo geral do curso é o de preparar profissionais especializados em desenvolvimento de sistemas web, em vista do crescente aumento de demanda dos negócios via web e conseqüente procura por produtos e profissionais para tal atividade.

Além do objetivo geral acima exposto, o curso possui ainda os seguintes objetivos específicos:
- Assegurar a flexibilidade, a contextualização e a multi, inter e transdisciplinaridade no decorrer do desenvolvimento do curso;
- Criar condições de educação continuada, aos seus docentes e outros profissionais de ensino, bem como aos seus educandos;
- Permitir a avaliação e reestruturação continuada do projeto político-pedagógico do curso, envolvendo a comunidade acadêmica e a sociedade civil, de maneira a mantê-los sempre atualizados e com seus conteúdos adequados às necessidades sociais;
- Avaliar continuadamente seus processos de acordo com as políticas de avaliação institucional, de maneira a atingir níveis cada vez mais elevados de excelência para obter o reconhecimento da comunidade;
- Contribuir para o desenvolvimento da comunidade, por meio de projetos que integrem ensino e extensão, seja elaborando e ministrando cursos, prestando serviços e promovendo espaço para estágios;
- Criar meios de comunicação com a comunidade;
- Contribuir para o fortalecimento da responsabilidade social;
- Fomentar a produção científica e intelectual dos docentes e discentes por meio de incentivos à divulgação e publicação de seus trabalhos;
- Desenvolver e incentivar a iniciação científica entre os acadêmicos;
- Criar formas de articulação entre os diversos níveis de ensino oferecidos pela instituição, promovendo a integração vertical dos processos;
- Preparar os acadêmicos para a vida em uma sociedade mutante, caracterizada pela complexidade e incertezas, promovendo situações nas quais possam adquirir domínio dos saberes necessários que compõem a Ciência, a Tecnologia e a Sociedade em seus aspectos histórico e culturais, de maneira a possibilitar uma atuação consciente como profissional e pessoa;
- Desenvolver projetos que busquem a recuperação, preservação e manutenção do meio ambiente;
- Preparar profissionais com formação de base científica aliada a uma formação tecnológica atual e integrada às tecnologias empregadas pelo setor produtivo;
- Qualificar o profissional de formação superior, voltado para as tarefas de programação de aplicações para a internet e o gerenciamento do desenvolvimento de sistemas para internet.

Os cursos superiores de tecnologia são de graduação?
Sim, conforme a resolução CNE/CP 3, de 18 de dezembro de 2002, "os cursos superiores de tecnologia são de graduação, com características especiais, e obedecerão às diretrizes contidas no Parecer CNE/CES 436/2001 e conduzirão à obtenção de diploma de tecnólogo".

Posso concorrer a uma vaga em concursos públicos com diploma de tecnólogo?
A designação da qualificação do servidor é de autonomia do contratante, contudo, caso a exigência seja de nível superior e/ou graduação, o formado em cursos tecnólogos está apto a prestar o concurso. Ressalte-se a exceção em caso de solicitação específica da formação em licenciatura e/ou bacharelado. Portanto, o fator determinante é o teor do edital de cada concurso no qual estarão discriminados os títulos exigidos.

Posso fazer pós-graduação depois do curso de tecnólogo?
Sim, conforme a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDB sim, pois o Art. 44, inciso III especifica que os cursos de pós-graduação, compreendendo programas de mestrado e doutorado, cursos de especialização, aperfeiçoamento e outros, são abertos a candidatos diplomados em curso de graduação e que atendam às exigências das instituições de ensino e o edital de seleção dos candidatos.

Qual a diferença entre curso técnico e curso tecnológico?
Cursos técnicos são programas de nível médio com o propósito de capacitar o aluno proporcionando conhecimentos teóricos e práticos nas diversas atividades do setor produtivo, e os cursos tecnológicos classificam-se como de nível superior.

Informações extraídas do portal do Ministério da Educação: http://portal.mec.gov.br.


 

Inscrições - Vestibular de Verão 2017

icone_inscrevase_30


 

Situação Legal

O curso superior de tecnologia em Sistemas para Internet obteve autorização através da Portaria MEC nº 303 de 10 de dezembro de 2009, publicada no Diário Oficial da União em 15 de dezembro de 2009.


 

Matriz Curricular

O curso superior de tecnologia em Sistemas para Internet enfatiza o emprego de conceitos essenciais de programação e análise de negócios e sistemas de informação para a Internet para utilizar ferramentas e práticas necessárias em implementação de projetos e sistemas de informação para a Web.

Desta forma, o curso formará profissionais capazes de:

> Selecionar e utilizar aplicativos e utilitários a partir da avaliação das necessidades do usuário;
> Instalar e configurar sistemas operacionais, aplicativos e utilitários;
> Resolver problemas através da implementação de algoritmos, utilizando linguagens de programação;
> Aplicar os princípios da abordagem orientada a objetos no desenvolvimento de sistemas;
> Desenvolver aplicações utilizando os princípios da programação orientada a eventos;
> Desenvolver aplicações utilizando o conceito de desenvolvimento em múltiplas camadas;
> Identificar a estrutura, organização e padronização das redes TCP/IP e da internet;
> Elaborar aplicações para o ambiente internet;
> Selecionar e propor modelos de construção de web sites dinâmicos baseados em tecnologia de objetos distribuídos;
> Conhecer e aplicar técnicas para o bom relacionamento entre pessoas e manter a eficácia das técnicas de trabalho em equipe;
> Reconhecer problemas relativos a recursos e usuários num Sistema Operacional;
> Analisar e comparar os serviços e funções dos sistemas operacionais em ambientes de rede;
> Selecionar ferramentas necessárias à montagem de um sistema seguro;
> Elaborar um plano de negócios;
> Integrar recursos de Tecnologia da Informação aos negócios das organizações;
> Modelar sistemas de banco de dados;
> Projetar e implementar sistemas de informação para a internet;
> Integrar aplicativos heterogêneos através de aplicações distribuídas;
> Integrar base de dados através da internet;
> Compreender a importância da gestão de pessoas em um gerenciamento de projetos;
> Realizar trabalho em equipe, correlacionando conhecimentos da base tecnológica ou científica, tendo em vista o caráter interdisciplinar da área e a formação integral do aluno.

Para ver a matriz curricular, faça download do arquivo abaixo.


 

Laboratórios de Informática

Conteúdo Relacionado

Imagens


 

Depoimentos


 

Membros do Colegiado

Os cursos do Ibes, representados por seus gerentes de ensino, nomeiam através de portarias, uma equipe para compôr os membros do colegiado de cada curso oferecido pela instituição. Confira no anexo abaixo a portaria de nomeação dos membros do colegiado do curso.


 

Membros do NDE

Os cursos do Ibes, representados por seus gerentes de ensino, nomeiam através de portarias, uma equipe para compôr os membros do Núcleo Docente Estruturante de cada curso oferecido pela instituição. Confira no anexo abaixo a portaria de nomeação dos membros do NDE do curso.


 

Fale com o coordenador

Coordenação do Tecnólogo em Sistemas para Internet

Profº Arquelau Pasta

Possui graduação em Bacharel em Ciência da Computação em 2003. Pós-Graduação em Gestão Estratégica de Organizações em 2005. Mestre em Computação Aplicada em 2011. Atualmente é Revisor da Revista Interdisciplinar Científica Acadêmica (RICA), professor titular das disciplinas de Informática Aplicada, Estrutura de Dados, Banco de Dados e Tecnologia da Informação, no Instituto Blumenauense de Ensino Superior (IBES), Coordenador dos Cursos Superior de Tecnologia em sistemas para Internet, Gestão da Qualidade, Processos Gerenciais e Logística na Sociedade Educacional de Santa Catarina (SOCIESC) campus Blumenau, Coordenador dos Cursos Técnicos de Logística, Edificações, Eletrônica, Saúde e Segurança do Trabalho e Telecomunicações na Sociedade Educacional de Santa Catarina (SOCIESC) campus Blumenau, Membro do Grupo de Pesquisa Gestão em Tecnologia da Informação e Comunicação, Membro do Comitê de Especialistas Técnicos na área de TI - Software para o SENAI em nível Brasil, Revisor do Catálogo Nacional de Cursos Técnicos (MEC) e Instrutor de Nível III, ministrando as disciplinas de Informática Básica, Informática Aplicada, Algoritmos e Programação e Banco de Dados I, Banco de Dados II, Análise e Projetos de Sistemas e Tópicos Avançados em Banco de Dados - no Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI/SC) em Blumenau. Tem experiência na área de Ciência da Computação, com ênfase em Software Básico, atuando principalmente nos seguintes temas: lógica e programação, banco de dados, ensino à distância, sistemas de informação, tomada de decisão, sistemas de informação gerencial, tecnologia de informação e gestão do conhecimento.

Telefone: (47) 2111-2918

E-mail: arquelau.pasta@sociesc.org.br


 

Receba mais informações do curso

programa_completo


 

Parceiros:

Banners

Instalar Adobe Flash PlayerEste site utiliza recursos do plugin Adobe Flash. Clique no botão ao lado para instalar.